Miraflores Palace/Handout via REUTERS
Miraflores Palace/Handout via REUTERS

Maduro diz que plano de economizar em ouro é uma 'oportunidade' para proteger recursos 

Medida faz parte do plano de recuperação econômica do presidente anunciado há uma semana

O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2018 | 17h34

CARACAS - O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, tornou-se nesta segunda-feira, 3, credor do primeiro certificado do "plano de poupança do ouro", que faz parte do chamado "plano de recuperação econômica", que o presidente considerou uma "oportunidade" para a classe média desse país petroleiro para proteger seus recursos monetários". 

"Tenho o certificado número 1, o primeiro certificado do plano de economia em ouro, é uma oportunidade para todos os Trabalhadores, a classe média venezuelana, os profissionais, acabei de comprar um lingote de 1,5 gramas ao preço do dia", declarou Maduro ao canal estatal VTV após a compra. 

Esse plano, anunciado há uma semana, consiste em que os cidadãos possam comprar lâminas de ouro por meio do Banco Central (BCV) e, segundo disse o chefe de Estado, economizar em meio à severa crise econômica que atinge o país.   

 

O preço vai variar de acordo com o peso de cada lâmina que irá desde 10 gramas, passando por 20, 30, 40 e 50 gramas até 1 quilo. Maduro investiu 3.780 bolívares (US$ 61,87), enquanto sua mulher, Cilia Flores, pagou 5.900 bolívares (US$ 96,57) por uma lâmina de 2,5 gramas de ouro que, segundo o plano, permanecerão nos cofres do BCV por um ano. 

"Esses são nossos depósitos, estou dando um passo adiante porque esse é um plano que amadureci por muito tempo, para que o povo possa respaldar com seu dinheiro o ouro venezuelano", disse o presidente. 

Maduro indicou ainda que esse plano tem uma modalidade de economia que está fracionada em 10. "Você pode comprar vários certificados para dezembro e dar de presente, quem sabe um presente de Natal, esse é um plano para a economia da família", detalhou. 

Por sua vez, o presidente do organismo emissor, Calixto Ortega, disse que desde esta segunda-feira até o próxima sexta-feira ocorrerá uma jornada especial para a compra dos certificados de depósito em ouro, com um investimento mínimo de 355,56 bolívares (US$ 5,82) para 1,5 gramas e de 592,60 bolívares (US$ 9,70) para 2,5 gramas.   

Esse projeto é parte do chamado "plano de recuperação econômica" que o governo Maduro iniciou em 20 de agosto com a entrada em vigência das novas notas de bolívar com cinco zeros a menos, o bolívar soberano. 

Outras ações incluem o aumento salarial que se multiplicou por 35 a renda mínima legal - hoje em US$ 30 mensais -, a fixação de preços, a desvalorização em 95,8% da moeda, o aumento de impostos, o aumento das taxas de transporte, entre outros controles econômicos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.