Miraflores Palace/Handout via REUTERS
Miraflores Palace/Handout via REUTERS

Maduro pede que trabalhadores 'se comprometam por escrito' a votar nele

Líder chavista anunciou na quarta-feira que tentará se reeleger nas eleições adiantadas para, no máximo, abril

O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2018 | 02h14
Atualizado 25 Janeiro 2018 | 08h56

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu na quarta-feira 24 que os simpatizantes do chavismo formem comitês de trabalhadores em "todos os setores", incluindo a estatal petroleira PDVSA, para que "se comprometam por escrito" a votar nele nas próximas eleições.

+ Perseguição de Maduro dificulta campanha de rivais

+ Sem dinheiro e internet, comerciantes usam criatividade em praias turísticas da Venezuela

"Quero ter um comando de campanha central da classe trabalhadora que conte com (...) todos os trabalhadores e se comprometam por escrito a votar no candidato da pátria Nicolás Maduro", disse o líder chavista, que tentará a reeleição no pleito adiantado para, no máximo, 30 de abril.

A Assembleia Constituinte, que governa o país com poder absoluto, adiantou na terça-feira a votação, que tradicionalmente é realizada em dezembro. O Poder Eleitoral ainda definirá a data exata.

Ao pedir a criação dos comitês, Maduro mencionou duas empresas públicas, a PDVSA - fonte de 96% das divisas que entram no país - e o Metrô de Caracas.

"Assim como vocês me pedem mais, peço mais de vocês", afirmou Maduro durante um ato com trabalhadores, destacando a importância de "conquistar voto por voto, trabalhador por trabalhador".

Em cada processo eleitoral, organizações sindicais e dirigentes opositores denunciaram pressões e demissões por parte do governo. Cerca de 2,8 milhões de pessoas trabalham nos setores públicos da Venezuela.

O número dois do chavismo, Diosdado Cabello, é acusado de ameaçar os funcionários públicos com demissões se não apoiarem a "revolução" nas votações. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.