AP Photo/Ahn Young-joon
AP Photo/Ahn Young-joon

Órgão da ONU confirma que atividade sísmica na Coreia do Norte é de origem natural

De acordo com especialista da Organização do Tratado de Proibição Total de Provas Nucleares, atividade sísmica registrada neste sábado em Kilchu é de 'origem tectônica, não produzida pelo homem'

O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2017 | 16h11

VIENA - A Organização do Tratado de Proibição Total de Provas Nucleares (CTBTO), vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), confirmou que a atividade sísmica registrada neste sábado, 23, na Coreia do Norte foi um terremoto e não um teste nuclear.

"Confirmamos a origem tectônica, não produzida pelo homem", indicou no Twitter o secretário executivo da CTBTO, Lassina Zerbo, ao falar sobre o tremor.

O especialista do organismo, que tem estações sismográficas no mundo todo, já tinha indicado que era "improvável" que o tremor, de 3,5 graus na escala de Richter, se devesse a um ensaio nuclear. Segundo ele, os "eventos sísmicos" detectados hoje podem ser réplicas do último teste nuclear do regime de Kim Jong-un, realizado no dia 3, que provocou um tremor de 6,3 graus na escala de Richter.

O terremoto aconteceu às 17h09 (5h29 em Brasília), em Kilchu (Província de Hamgyong Norte), onde fica a base nuclear na qual Pyongyang realizou seu sexto teste atômico.

O presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, trocaram ameaças nos últimos dias, e por isso surgiu o receio de que o abalo fosse um novo teste nuclear de Pyongyang. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.