AHMAD AL-RUBAYE / AFP
AHMAD AL-RUBAYE / AFP

Pelo menos 26 combatentes iraquianos são mortos em ataque aéreo no leste da Síria

Ataques ocorreram após a morte de dois soldados americanos e um britânico em uma base militar da coalizão internacional liderada pelos EUA no Iraque

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 05h04

BEIRUTE - Pelo menos 26 combatentes das Unidades de Mobilização Popular (Al Hashd Al Sha'abi), uma força paramilitar iraquiana pró-Irã, foram mortos em ataques aéreos no leste da Síria. O balanço é do Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) desta quinta-feira, 12.

Os ataques ocorreram na região de Bukamal, na fronteira da Síria com o Iraque, e são uma resposta à morte de dois soldados americanos e um britânico em uma base militar da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos no Iraque.

Na quarta-feira, 11, um primeiro balanço do OSDH relatou a morte de 18 combatentes das Unidades de Mobilização Popular (UMP), criadas durante a luta contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

Ataque no Iraque

Ao menos dezoito foguetes atingiram Camp Taji,  uma base do exército iraquiano que abriga tropas americanas nesta quarta-feira, 11, no 22º ataque contra alvos americanos no país desde o final de outubro, informaram fontes oficiais.

Embora inicialmente o exército iraquiano tenha afirmado que o ataque não havia causado vítimas ou danos, um oficial americano afirmou que ao menos três pessoas, dois americanos e um britânico, morreram, e pelo menos dez ficaram feridas. 

O Camp Taji, localizado ao norte de Bagdá, tem sido usado como base de treinamento por vários anos. Existem cerca de 6 mil soldados norte-americanos no Iraque, treinando e assessorando forças iraquianas e realizando missões contraterroristas./ AFP, AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.