Focke Strangmann/EFE/EPA
Focke Strangmann/EFE/EPA

Viagem para a Europa: Veja o que muda com as novas restrições da quarta onda de covid-19

Toque de recolher e bloqueios em alguns países tornaram mais uma vez difícil planejar uma visita ao continente

Ceylan Yeginsu, The New York Times, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2021 | 20h00

Era para ser o grande retorno da temporada de viagens de inverno na Europa, com brilhantes mercados de Natal, esquiadores deslizando pelas encostas nevadas e apresentações de ópera dando as boas-vindas ao público em grandes teatros.

Mas então veio uma quarta onda mortal de casos de coronavírus, desencadeando uma nova rodada de toques de recolher e bloqueios em vários países europeus (e na Áustria, um mandato de vacina para a maioria da população do país). 

Essas medidas rigorosas geraram protestos violentos em todo o continente, com dezenas de milhares de manifestantes argumentando que os requisitos são violações de suas liberdades básicas. Agora, muitos mercados de Natal estão cancelados, alguns resorts de inverno estão fechados e as salas de espetáculos não estão funcionando. 

A paisagem em rápida mudança mais uma vez tornou difícil planejar viagens para a Europa. Saiba o que muda, para os turistas, com as novas restrições:

Quais países impuseram restrições novamente?

A Áustria adotou a linha mais dura até agora, tornando-se na segunda-feira o primeiro país ocidental a impor novamente um bloqueio nacional completo, permitindo que as pessoas saiam de suas casas apenas para trabalhar ou comprar itens essenciais como mantimentos e remédios.

A paralisação durará pelo menos 10 dias e pode ser estendida até 13 de dezembro, disse o governo austríaco. Durante este período, as viagens de lazer para a Áustria são proibidas e as atrações turísticas, incluindo mercados de Natal, museus e teatros, estão fechadas. Os turistas que já estão no país e que não puderem reorganizar seus voos para casa terão permissão para ficar em hotéis, mas devem cumprir as regras de bloqueio.

Na sexta-feira, a Alemanha alertou que pode tomar medidas rigorosas se os casos de coronavírus continuarem a aumentar, indicando que os bloqueios podem ser uma possibilidade, mesmo para aqueles que são vacinados. As feiras de Natal foram canceladas na Saxônia e na Baviera, bares e clubes estão fechados e restaurantes estão operando em horários reduzidos.

A República Tcheca e a Eslováquia, que registraram algumas das taxas de infecção mais altas da Europa, proibiram as pessoas não vacinadas de acessar restaurantes, hotéis, bares e cabeleireiros, mesmo que tenham um teste de coronavírus negativo.

A Holanda voltou a um bloqueio parcial em 13 de novembro por pelo menos três semanas, com restaurantes e lojas fechando mais cedo e espectadores proibidos de participar de eventos esportivos. O governo holandês está explorando maneiras de restringir as pessoas não vacinadas de locais fechados, uma medida que gerou tumultos e protestos em todo o país.

A Irlanda também impôs toque de recolher nesta semana, exigindo que bares e clubes fechem à meia-noite.

Ainda posso viajar para a Europa?

Depende de para onde você planeja viajar. Embora a União Europeia tenha publicado diretrizes gerais para viagens para o bloco, cada um dos 27 Estados-membros estabelece seus próprios requisitos de entrada.

Viajantes provenientes do Brasil são aceitos em 40 países do continente. Em 28 deles, sem restrições  -- ou seja, não é necessário fazer quarentena ou apresentar testes negativos para a covid-19 -- para aqueles totalmente vacinados. 

Espanha, França e Reino Unido estão entre os países que aceitam brasileiros totalmente vacinados sem restrições; em Portugal, é necessário apresentar um teste para covid realizado até 72 horas antes do voo. A Itália exige, além de um teste negativo realizado até 72 horas antes do voo, uma quarentena de 10 dias. 

Quais vacinas são aceitas?

Entre os países abertos a viajantes provenientes do Brasil, 20 aceitam todas as vacinas aplicadas no país, embora alguns deles, como Alemanha e Áustria, tenham regras específicas para a Coronavac. Entre os países que não aceitam a Coronavac estão Bélgica, Dinamarca e República Tcheca. Alguns países, como Montenegro e Kosovo, não especificam se aceitam ou não a vacina da Sinovac.

Vou precisar de uma dose de reforço?

A maioria dos países europeus não exige reforço para entrada, mas alguns países definiram “datas de validade” da vacina para os viajantes.

Croácia, Áustria e Suíça exigem que as segundas doses da vacina ou doses de reforço sejam administradas dentro de um ano após a entrada no país. Na Áustria, o período de validade da vacina de dose única da Johnson & Johnson é de 270 dias, ou cerca de nove meses.

A partir de 15 de dezembro, o governo francês exigirá que todas as pessoas com 65 anos ou mais que desejam acessar locais fechados como restaurantes, museus e teatros recebam uma injeção de reforço seis meses e cinco semanas após a segunda dose.

Vou precisar de um passe digital de saúde?

Alguns lugares como a Suíça e a Bélgica exigem que os turistas se inscrevam para passes de saúde locais para ter acesso a locais fechados, como restaurantes e museus. Na Suíça, todos os visitantes devem solicitar o passe antes da chegada, e o tempo de processamento pode levar até sete dias. A Bélgica exige que os turistas com mais de 16 anos se inscrevam para um “Bilhete Covid Safe” para entrar em locais culturais, bares e restaurantes.

Em outros destinos como a França, os passes digitais locais são opcionais para visitantes internacionais e podem ser obtidos em algumas farmácias locais.

Como a última onda afetará a temporada de esqui?

Embora a Áustria tenha fechado as estações de esqui durante seu período de bloqueio, a temporada de esqui em todo o resto da Europa está em andamento.

Na semana passada, as estações de esqui na França e na Itália reabriram, com todos os esquiadores com idade superior a 12 anos obrigados a apresentar prova de vacinação, recuperação de uma infecção por covid-19 ou um teste de coronavírus negativo para acessar teleféricos. (No início da pandemia, muitos destinos de esqui populares, como Ischgl, na Áustria, tornaram-se focos de vírus ao reunir grandes grupos em espaços confinados, como teleféricos, chalés e restaurantes.)

A Suíça também abriu suas encostas para a temporada e exige que os visitantes apresentem certificados de saúde de coronavírus para bares e restaurantes do resort.

Posso transitar por aeroportos de países em bloqueio?

Atualmente não há restrições para viajantes em trânsito em aeroportos europeus para outros países. Durante o bloqueio da Áustria, os passageiros em trânsito pelo país não estão autorizados a deixar a área do aeroporto.

Devo me preocupar com protestos?

Grandes protestos contra as medidas restritivas eclodiram em toda a Europa no fim de semana passado. Dezenas de milhares de manifestantes marcharam em cidades europeias como Viena, Amsterdã, Bélgica e Roma e entraram em confronto com a polícia.

Os protestos se tornaram particularmente violentos na cidade holandesa de Rotterdam, com grandes grupos jogando pedras e fogos de artifício contra os policiais, levando a polícia a responder com tiros. Em Bruxelas, a polícia disparou gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar as multidões.

Protestos esporádicos e em pequena escala continuaram durante a semana. É melhor verificar os sites de notícias locais para quaisquer protestos planejados antes de se aventurar.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.