Said Khatib/AFP
Said Khatib/AFP

Israel bombardeia Gaza em retaliação aos balões incendiários

De acordo com os serviços de bombeiros e resgates israelenses, ataques provocaram incêndios no sul do país

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2020 | 00h05

O exército israelense anunciou na madrugada de domingo, 16, uma nova série de bombardeios contra posições do Hamas na Faixa de Gaza em resposta ao lançamento de balões incendiários do enclave palestino em território israelense.

Durante a noite também houve confrontos ao longo do muro que separa Israel de Gaza, conforme explicaram fontes palestinas e as forças armadas israelenses, que precisaram de uma dúzia de pessoas para "queimar pneus, jogar dispositivos explosivos e granadas na barreira de segurança e tentar abordá-la".

Ao longo desta semana, o exército israelense realizou vários bombardeios noturnos contra posições do movimento islâmico que controla o enclave palestino, em resposta aos lançamentos de balões disparados que, em alguns casos, provocaram incêndios no sul de Israel - 19 apenas no sábado, 15, de acordo com os serviços de bombeiros e resgates israelenses. 

Em resposta, "aviões de combate atacaram posições do Hamas na Faixa de Gaza", incluindo "infraestruturas subterrâneas' do grupo palestino", disseram os militares israelenses em um comunicado. 

O exército israelense anunciou no início do domingo uma segunda barragem de bombardeios contra Gaza em retaliação desta vez por disparos de foguetes do território palestino de dois milhões de pessoas - dos quais mais da metade vive abaixo da linha de pobreza, de acordo com o Banco Mundial

As autoridades israelenses também reduziram a área de pesca do Mediterrâneo para os gazatis esta semana, e fecharam Kerem Shalom, a única travessia de carga entre Gaza e Israel, que causa um bloqueio ao território palestino empobrecido. Apesar da trégua do ano passado, favorecida pela ONU, Egito e Catar, Hamas e Israel, que já travaram três guerras (2008, 2012, 2014), enfrentam esporadicamente lançamentos de foguetes, morteiros ou balões incendiários de Gaza.

Israel vê esses ataques como uma provocação à sua soberania e uma ameaça à sua segurança, e seu exército frequentemente responde a eles com bombardeios. De acordo com analistas palestinos, os tiroteios de Gaza visam pressionar Israel a autorizar a entrada no enclave mensal de ajuda financeira do Catar, previsto no acordo de trégua./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.