South Korean Unification Ministry via AFP Photo
South Korean Unification Ministry via AFP Photo

Pyongyang e Seul formarão equipe única para participar dos Jogos Olímpicos de Inverno

Representantes dos dois países também concordaram em se apresentar de forma conjunta na cerimônia de abertura, carregando uma bandeira única da península coreana

O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2018 | 03h12
Atualizado 17 Janeiro 2018 | 14h30

SEUL - Durante uma nova rodada de conversas, Pyongyang e Seul concordaram nesta quarta-feira, 17, em formar uma equipe comum feminina de hóquei para participar da Olimpíada de Inverno de Pyeongchang, e se apresentar de forma conjunta na cerimônia de abertura, carregando uma bandeira única da península coreana, segundo uma declaração conjunta divulgada pelo Ministério da Unificação sul-coreano. 

+ Única forma de Pyongyang negociar seu programa nuclear é endurecendo sanções, diz Tillerson

A Coreia do Norte enviará uma delegação de 550 membros, incluindo 230 animadores de torcida, 140 artistas e 30 lutadores de taekwondo para uma demonstração. O grupo deve chegar à Coreia do Sul no dia 25, de acordo com o anúncio.

+ TV pública japonesa alerta por engano para disparo de míssil norte-coreano

Três representantes de cada país participaram da reunião de trabalho em Panmunjom - povoado na fronteira onde foi firmado o cessar-fogo da Guerra da Coreia (1950-1953) - sobre o número de atletas e outros assuntos de logística. O regime norte-coreano propôs que a delegação que será enviada viaje por terra e atravesse a passagem situada na faixa ocidental da fronteira, explicou o Ministério de Unificação.

Ainda que sejam necessárias conversas militares para estabelecer o protocolo de segurança em torno da delegação norte-coreana, a viagem por terra deve ser mais simples que por mar. Isso porque permitir que um barco norte-coreano atraque na costa sul-coreana pode violar as sanções que Seul impõe sobre Pyongyang por seu programa de armas nucleares.

As conclusões do encontro farão parte da ordem do dia na reunião de representantes das duas Coreias com o Comitê Olímpico Internacional (COI), no sábado, em Lausanne, na Suíça. O COI deverá aprovar a participação dos atletas norte-coreanos que não obtiveram índice ou que não se inscreveram no prazo.

Ainda falta determinar o alojamento para a delegação norte-coreana e como será custeada a hospedagem e a viagem, de modo que a Coreia do Sul não viole as sanções. "Negociaremos sob o espírito do mútuo respeito (...) para melhorar as relações na fronteira e estabelecer a paz na península", declarou o negociador sul-coreano, Chun Hae-sung.

Recentemente, Pyongyang aceitou enviar uma delegação de atletas, dirigentes e artistas aos Jogos, que começam no dia 9 de fevereiro.

Alerta

Apesar das ações recentes da Coreia do Norte, favoráveis a uma reaproximação com Seul, o Japão pediu cautela sobre a “ofensiva de charme” norte-coreana.

O ministro japonês das Relações Exteriores, Taro Kono, disse que o mundo não deve ser inocente em relação à “ofensiva de charme” de Pyongyang sobre a Olimpíada.

“Não é o momento para diminuir a pressão ou recompensar a Coreia do Norte”, disse ele. “O fato de ela estar se envolvendo no diálogo pode ser interpretado como prova de que as sanções estão funcionando.” / AFP, EFE, REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.