(AP Photo/Marco Ugarte)
(AP Photo/Marco Ugarte)

México enviará 6 mil homens à fronteira para conter imigrantes

Homens da Guarda Nacional foram enviados à fronteira com a Guatemala para tentar evitar passagem de imigrantes centro-americanos na tentativa de evitar imposição de tarifas americanas

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2019 | 11h53

O México informou aos Estados Unidos que enviará 6 mil homens da Guarda Nacional à fronteira com a Guatemala, por onde nos últimos meses entraram milhares de imigrantes em direção ao território americano, informou na quinta-feira, 6, o chanceler Marcelo Ebrard.

Com a medida, o governo mexicano espera conter o fluxo de migrantes que saem da América Central rumo aos Estados Unidos. Por causa do aumento na imigração ilegal e pedidos de asilo, o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou a taxação gradual de produtos mexicanos importados.

"Explicamos que são 6 mil homens e vão ficar estacionados lá", disse Ebrard a jornalistas em Washington, ao final do segundo dia de negociações visando evitar a imposição de tarifas americanas sobre produtos mexicanos, a partir da próxima segunda-feira.

Ebrard está em Washington para uma série de negociações com integrantes da Casa Branca para tentar reverter a aplicação de tarifas a produtos mexicanos. Trump disse estar disposto a cancelar a aplicação das tarifas caso o México interrompa ou diminua consideravelmente o fluxo migratório rumo aos EUA.

Na quarta-feira, o presidente norte-americano afirmou que o primeiro dia de reuniões trouxe avanços, mas que não foram "nem perto do suficiente" para resolver o problema migratório. O presidente Donald Trump ameaçou na semana passada aplicar tarifas sobre as importações mexicanas a partir de 10 de junho, começando por 5% e aumentando mensalmente até 25% caso o México não detenha o fluxo de imigrantes em direção aos EUA.

Ebrard admitiu que ainda não há um acordo e declarou que as conversações prosseguirão nesta sexta-feira, após um intenso dia de trabalho no departamento de Estado. "A administração apresentou seus pontos de vista, e nós os nossos. Amanhã teremos outra sessão pela manhã e seguiremos em frente".

O governo mexicano informou que o secretário de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Víctor Manuel Villalobos, e a secretária da Economia, Graciela Márquez, voltaram ao México nesta quinta.

Trump, que está na Europa, volta a Washington na tarde desta sexta-feira e é pouco provável que haja uma solução sem a sua presença.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.