AP Photo/Francisco Seco
AP Photo/Francisco Seco

Onda de calor deixa dois mortos e coloca Espanha e Portugal em alerta para incêndios florestais

Operário e aposentado morreram de insolação na cidade espanhola de Múrcia; Exército suíço autorizou soldados a usarem bermuda e camiseta e supermercado finlandês convidou clientes a dormirem em suas instalações para aproveitarem ar-condicionado

O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2018 | 11h43

LISBOA - Uma intensa onda de calor atingiu a Europa nesta sexta-feira, 3, e colocou os governos Espanha e Portugal em alerta para prevenir incêndios florestais - o ar quente vindo do norte da África causou as temperaturas mais intensas na Península Ibérica desde 2003.

Dois homens morreram de insolação na região sudeste da cidade espanhola de Múrcia, informou a rádio Cadena Ser. Um deles tinha 48 anos e trabalhava em obras de uma estrada. O outro tinha 78 anos e trabalhava em sua propriedade rural, segundo a rádio.

Para combater as temperaturas acima da média, a Suíça autorizou seussoldados a usar bermudas e na Finlândia um supermercado convidou clientes a dormir em suas dependências e aproveitarem a temperatura controlada por ar-condicionado.

Nas últimas semanas o verão europeu causou secas e incêndios florestais em lugares como Grã-Bretanha e Grécia, onde 91 pessoas pessoas morreram em julho.

A agência de proteção civil de Portugal informou que colocou mais de 400 bombeiros em alerta no norte e no centro do país. As temperaturas espanholas e portuguesas permanecerão acima de 40ºC pelo menos até domingo, e poderão subir mais 2 ou 3 graus. Com isso, o recorde anterior de calor na Europa, de 48ºC, estabelecido em Atenas em 1977, pode ser superado nos próximos dias.

"Lisboa deve ser uma das cidades mais quentes do mundo neste fim de semana porque ainda são 10 horas e já está muito quente", opinou Ana Pascoal, de 56 anos, faxineira em um restaurante de luxo. "Está realmente insuportável."

Vários lugares na região árida do sul do Alentejo, em Portugal, devem atingir os 47ºC. O país ficou em alerta máximo em um esforço para evitar a repetição dos piores incêndios da história ocorridos no ano passado, que mataram 114 pessoas.

François Jobard, meteorologista da Meteo France, disse que a massa de ar quente do norte da África "possivelmente resultará em temperaturas recordes em Portugal e na Espanha, com 45ºC esperados de agora até sábado, e ainda mais quente do que isso (no domingo)".

"Não quero fazer previsões negativas, mas ontem mesmo imaginei que o mesmo poderia acontecer aqui. Estou rezando para que não haja nada assim", disse Eva Stigliano, uma turista grega que visita Portugal pela terceira vez. "Já estive aqui antes no verão, mas nunca foi tão quente como agora."

Autoridades espanholas divulgaram um alerta para a onda de calor para a maior parte da região central país, que deve durar até domingo, com temperaturas acima de 42ºC em algumas partes da Andaluzia e de Extremadura.

Casos curiosos

Em Helsinque, capital da Finlândia, uma filial da rede K-Supermarket, no distrito de Pohjois-Haaga, convidou 100 clientes para dormirem em sua loja no sábado e aproveitarem a temperatura cotrolada por ar-condicionado.

Em agosto, a média de temperatura no país é de 19ºC, mas nesta semana o índice esteve perto dos 30ºC. No país, poucas pessoas têm ar-condicionado em casa. Em entrevista à uma rádio estatal, o gerente do supermercado informou que a venda de cervejas seria encerrada às 21 horas, mas que lanches continuariam disponíveis para quem resolver passar a noite no local.

Na Suíça, ferrovias para as montanhas registraram um movimento acima do comum à medida que muitas pessoas estão deixando suas casas nas áreas urbanas em direção ao Alpes. O Exército do país permitiu que seus soldados usassem shorts e camisetas em vez de uniformes padrão.

Mais ao norte, na Escandinávia, as temperaturas também atingiram recordes dias atrás. Na Suécia, julho foi o mês mais quente da história e incêndios florestais atingiram várias regiões do país.

Enquanto isso, autoridades de ambos os lados do Mar Báltico, na Suécia e na Polônia, alertaram contra a natação devido a uma enorme proliferação de algas tóxicas devido às altas temperaturas.

Calor no Báltico

A onda de calor na Europa fez com que a temperatura das águas do Mar Báltico no litoral da Alemanha se aproximasse das que habitualmente são registradas no litoral do Mar Mediterrâneo na França, segundo dados do Departamento Federal de Hidrografia de Hamburgo.

No litoral báltico da Alemanha, a temperatura das águas oscilou entre 23ºC e 27ºC, mesmo nível registrado na Côte d'Azur, na Riviera Francesa, e muito acima dos 18ºC habituais nesta época do ano, de acordo com a mesma fonte.

A situação de calor extremo persiste na Alemanha, com temperaturas máximas que oscilam entre 36ºC e 38ºC. Na quarta-feira, os termômetros marcaram 39,5ºC no leste do país. As mínimas noturnas também foram altas, com média de 26ºC, o que os meteorologistas qualificam de "noites tropicais", que são raras no país.

O nível de alguns rios caiu para mínimos históricos e, no caso do Elba, fez com que reaparecesse munição acumulada em seu leito desde a época da 2ª Guerra.

As autoridades alemãs anunciaram que no fim de semana haverá distribuição de água mineral e protetor solar para os sem-teto, diante da situação de especial exposição ao sol destas pessoas. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.