Luis Gerardo Magaña / El Debate De Sinaloa / EFE
Luis Gerardo Magaña / El Debate De Sinaloa / EFE

Polícia do México captura filho de El Chapo, é cercada por homens armados e o liberta

Ovidio Guzmán López havia sido detido após um ataque a um carro da Guarda Nacional; ação desencadeou batalha na região, com tiroteios e fuga de um presídio

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2019 | 08h47

CULIACÁN, MÉXICO - Após capturarem um dos filhos do narcotraficante Joaquín "El Chapo" Guzmán, as forças de segurança do México foram cercadas por homens fortemente armados na cidade de Cualiacán, bastião do Cartel de Sinaloa, e foram obrigadas o libertá-lo. A captura havia desencadeado uma verdadeira batalha na região, com tiroteios e fuga de um presídio.

Para Entender

Chapo, Mayo e Azul: o trio por trás da ascensão do Cartel de Sinaloa

Joaquín 'El Chapo' Guzmán era a face mais visível da organização criminosa, mas dividia poder com Ismael Zambada García ('El Mayo') e Juan José Esparragoza Moreno ('El Azul')

Ovidio Guzmán López havia sido detido com outras três pessoas durante uma operação nessa quinta-feira, 17, após um ataque a um carro da Guarda Nacional, afirmou o secretário de Segurança e Proteção Cidadã, Alfonso Durazo.

O ataque partiu do interior de uma casa e a unidade da Guarda Nacional "repeliu a agressão e tomou o controle da residência, localizando em seu interior quatro pessoas, incluindo Ovidio Guzmán López", também conhecido como Ivan, disse Durazo.

A ação fez com que "vários grupos de delinquentes cercassem a casa com uma força superior a da patrulha", o que provocou o tiroteio. As forças de segurança acabaram se rendendo para evitar a perda de vidas, segundo informações do governo.

"Além disso, outros grupos realizaram ações violentas contra a população em vários pontos da cidade, gerando uma situação de pânico", afirmou Durazo.

Situação de caos

Imagens de trailers queimados e homens fortemente armados circulando em caminhonetes foram gravadas por um jornalista da agência France-Presse. Em meio aos confrontos, o governo de Sinaloa pediu à população para não sair de casa e ficar atenta aos "avisos oficiais sobre a evolução dos acontecimentos".

Segundo integrantes do governo de Sinaloa, o tiroteio começou às 16h (18h em Brasília) e alguns policiais ficaram feridos. Em meio à confusão em Culiacán, vários presos fugiram da prisão local de Aguaruto, revelaram os funcionários, que pediram para não ser identificados.

O tiroteio se estendeu por horas em outros pontos da cidade. Imagens de TV mostraram o avanço de carros do Exército e da polícia em uma das avenidas da cidade.

Estrutura do Cartel de Sinaloa 

O poderoso Cartel de Sinaloa está dividido entre os filhos de El Chapo, sentenciado à prisão perpétua nos Estados Unidos, e Ismael "El Mayo" Zambada, antigo sócio do narcotraficante.

Ovídio - junto a seu irmão Alfredo - teria assumido a liderança de uma parte do Cartel de Sinaloa desde a extradição de seu pai para os EUA, em janeiro de 2017. 

Em agosto de 2016, os dois irmãos escaparam de um ataque quando estavam em um restaurante de Puerto Vallarta, no Estado de Jalisco. As autoridades atribuíram a ação ao Cartel Jalisco Nova Geração, um grupo adversário.

As fugas de El Chapo

El Chapo escapou em 2001 da prisão de Puente Grande, na primeira de suas grandes fugas que ficaram conhecidas no mundo todo. Foi recapturado em fevereiro de 2014, mas 17 meses depois protagonizou outra fuga, desta vez de uma prisão de segurança máxima.

Ele foi preso pela terceira vez em janeiro de 2016 e no ano seguinte, extraditado para os EUA. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.