Andrew Caballero-Reynolds e Saul Loeb / AFP
Andrew Caballero-Reynolds e Saul Loeb / AFP

Impeachment: transcrição confirma que Trump pressionou Zelenski por investigação de Biden

Trump ofereceu se encontrar com Zelenski na Casa Branca depois de o ucraniano prometer conduzir a investigação sobre Biden e seu filho Hunter

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2019 | 11h49

WASHINGTON - A transcrição do telefonema entre o presidente americano, Donald Trump, e o ucraniano Volodmir Zelenski confirma que o republicano pediu que o líder ucraniano investigasse o democrata Joe Biden, seu possível rival nas eleições de 2020. A Câmara dos Deputados liberou na terça-feira, 24, abertura de inquéritos que podem levar ao impeachment de Trump.

Trump ofereceu se encontrar com Zelenski na Casa Branca depois de o ucraniano prometer conduzir a investigação sobre Biden e seu filho Hunter, que trabalhou na diretoria de uma empresa de gás ucraniana quando o pai era vice-presidente dos Estados Unidos. Em uma entrevista coletiva em Nova York ao lado de Trump, Zelenski negou ter sido pressionado pelo presidente americano

A conversa fez com que uma fonte da comunidade de inteligência americana fizesse uma denúncia anônima sobre o comportamento do presidente. A Direção Nacional de Inteligência deveria repassar a denúncia ao Congresso, mas não o fez. 

Para Entender

Guia do impeachment: veja o passo-a-passo para depor o presidente dos EUA

Entenda todas as etapas necessárias para remover Donald Trump e saiba quais sãos as diferenças em relação ao processo no Brasil

Trump pediu investigação contra Biden

A chamada começa com Trump parabenizando Zelensky pela vitória eleitoral. O republicano então, rapidamente muda de assunto e pressiona pela investigação de seus rivais políticos, endossando, aparentemente uma teoria da conspiração. 

Ele sugere que havia servidores de e-mail da democrata Hillary Clinton no país e sugere que o promotor especial Robert Mueller começou as investigações na Ucrânia.

“Gostaria que meu procurador-geral ligasse para o seu pessoal e gostaria que você fosse a fundo nisso”, disse Trump. Então, Trump começa a falar de Biden.

Para Entender

Impeachment nos EUA já atingiu três presidentes, mas nenhum foi deposto

Os democratas Bill Clinton, em 1998, e Andrew Johnson, em 1868 foram absolvidos pelo Senado; em 1974, Nixon renunciou antes da votação

“Estão falando muito sobre o filho de Biden. Que Biden parou uma investigação. Muitas pessoas querem descobrir algo sobre isso. Então o que você puder fazer com o procurador-geral seria ótimo”, afirmou o presidente, segundo a transcrição. “Biden saiu se vangloriando que ele parou a investigação então se você puder examinar isso... me parece horrível.”

Zelenski responde que seu candidato a procurador-geral na Ucrânia examinaria o caso de Biden. “Ele vai olhar o caso, especificamente a empresa que você mencionou na questão”, diz o ucraniano.

Casa Branca diz que não houve oferta de ajuda financeira

Segundo a Casa Branca, a transcrição mostra que Trump não vinculou a investigação em troca de ajuda financeira à Ucrânia. Quando o presidente pergunta a Zelenski como os Estados Unidos podem ajudar a Ucrânia, Zelenski responde que gostou das sanções que Washington impôs à Rússia. 

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, anunciou nesta terça-feira, 24 os primeiros passos para o impeachment do presidente americano Donald TrumpEla abrirá uma investigação formal para determinar se Trump pode ser afastado do cargo. Os democratas acusam Trump de usar o cargo para perseguir um adversário político.

"O presidente precisa ser responsabilizado pelos seus atos", disse Pelosi. "Ninguém está acima da lei." Ao menos 206 deputados democratas já apoiam o impeachment, que precisa de 218 votos para aprovação. 

Congresso abrirá inquéritos contra Trump

Pelosi encarregou seis comissões da Câmara de abrir inquéritos sobre possíveis violações cometidas por Trump. Qualquer uma delas pode determinar se houve irregularidades. A partir de então, os democratas votarão para determinar se o processo será aberto e levado ao Senado. 

Pelosi há meses resistia a autorizar medidas similares. A presidente da Câmara foi convencida a mudar de ideia pelos colegas de bancada, depois de relatos de que Trump teria pressionado o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, a investigar o pré-candidato democrata à presidência Joe Biden e sua família. O filho de Biden, Hunter,  trabalhou em uma empresa de gás no país quando o pai era vice-presidente dos EUA. 

Para Entender

Filho de Joe Biden muda rumos de eleição americana

Ao acusar Trump de abuso de poder por pedir à Ucrânia dados sobre negócios de seu filho, democrata precisará explicar tema incômodo

Em pronunciamento nesta tarde, Biden acusou Trump de "rasgar a Constituição".  "Se Trump continuar a obstruir o Congresso, não haverá alternativa que não seja iniciar o impeachment", disse. Pouco antes, Trump prometeu divulgar sem cortes a transcrição da chamada que manteve com Zelenski.

Afastamento de Trump precisaria de apoio republicano

Destituir o presidente efetivamente, porém, seria ainda mais complicado, porque exigiria o apoio de boa parte da bancada republicana no Senado - um núcleo duro do governo Trump.

A maioria dos congressistas republicanos se manteve em silêncio sobre os relatos de que o presidente teria pressionado o líder ucraniano a investigar Hunter Biden, filho do ex-vice-presidente. 

Pressão no Congresso americano

O teor da denúncia anônima contra Trump chegou na noite desta quarta ao líder do Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados, o democrata Adam Schiff.

A jornalistas, ele disse que as alegações são “extremamente perturbadoras”. “É muito pior do que nós imaginávamos”, disse Schiff. “Eu quero agradecer ao denunciante por ter se posicionado. Acho que o que esse indivíduo corajoso fez expôs sérias violações.”

De acordo com Schiff, os deputados estavam em contato com um advogado que representa o delator. O democrata garantiu que ele gostaria de prestar depoimento ainda esta semana.

A presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi, confirmou que recebeu e leu a denúncia, mas não poderia comentar seu conteúdo.

Na Câmara, por unanimidade, os deputados aprovaram nesta quarta uma resolução que solicita que a Casa Branca encaminhe ao Congresso o documento com o texto da denúncia, que foi visto por Pelosi e Schiff em locais “seguros”.

Eles argumentam que os apoiadores de Trump estão quebrando uma lei federal que implica que denúncias anônimas de autoridades sejam enviadas ao Congresso quando consideradas “críveis”.

O diretor interino de Inteligência Nacional, Joseph Maguire, defendeu que não se trata de uma “preocupação urgente”, e por isso o documento ainda não está no Congresso. / WASHINGTON POST, NYT e REUTERS

Leia abaixo a transcrição (em inglês) da conversa entre Trump e Zelenski divulgada pela Casa Branca:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.